Area News

Vocaciones “ven y sígueme”

Arte italiana do Novecento nos santuários da Terra Santa

Os Museus Vaticanos fizeram-se de moldura, dia 19 de abril, na apresentação do volume Artisti italiani in Terrasanta. Pittori, scultori e artisti al lavoro nei santuari di Antonio Barluzzi [Artistas italianos na Terra Santa. Pintores, escultores no trabalho nos santuários de Antônio Barluzzi], (1914-1955), organizado por Bruno Mantura com Anna Maria Damigella e Gian Maria Secco Suardo (Coleção Studi e Documentazione, Ed. Museus Vaticanos, 2017).
Na primeira metade do século passado, numerosos artistas italianos trouxeram sua arte e profissionalidade aos santuáros cristãos da Terra Santa. Esse volume documenta amplamente a obra que, sob a sábia direção do engenheiro Antônio Barluzzi, torna-se testemunha da fervorosa vontade de renovação cultural e religiosa.
Longa e complexa pesquisa no arquivo possibilitou repercorrer rigorosamente essa empresa totalmente italiana, muita vez através da recuperação de material inédito e, até hoje, considerado perdido.
Sob a “batuta” de Barluzzi, indagando as peculiaridades criativas de cada artista – entre os quais Mário Bárberis, Luigi Trifóglio, Giúlio Aristide Sartório, Biágio Biagetti, Duílio Cambellotti e muitos outros – o volume analisa arquitetura, pintura, escultura e as várias decorações nos lugares de culto, além das intervenções de restauração: da Basílica da Transfiguração sobre o Monte Tabor, à Basílica da Agonia, no Getsêmani, até ao Santuário da Flagelação, em Jerusalém. Seguem as biografias dos artistas e alguns interessantes aprofundamentos: a pesquisa sobre a obra de Antônio Barluzzi, as vicissitudes históricas na Palestina sob o Império Otomano até a constituição do Estado de Isael e, por último, a biografia do eclético engenheiro.
Bárbara Jatta, Diretora dos Museus Vaticanos, abriu a série de intervenções e sublinhou o especial carisma de Antônio Barluzzi, terciário franciscano que, mais vezes, tentou emitir os votos: « Barluzzi era homem extraordinário, antes de tudo homem de fé e, depois, Arquiteto, que dedicou sua vida à construção de muitas igrejas e à restauração dos Lugares Santos. Conseguiu envolver muitos artistas importantes, exportando a arte italiana daqueles anos, artistas que tinham profunda reflexão sobre o sagrado ».
O Custódio da Terra Santa, Fr. Francesco Patton, recordou o horizonte temporal no qual se põe a apresentação do volume: a conclusão da comemoração dos oitocentos anos de presença franciscana na Terra Santa e que, em 2019, será o oitavo centenário da chegada de S. Francisco de Assis à Terra Santa. « É dentro de uma história de descoberta, recuperação e restituição pela Custódia de muitos santuários, que se insere a relação entre a Custódia e Barluzzi. Esse fervoroso Arquiteto católico, terceiro franciscano, continuamente tentado a entrar no convento, era profissional de extraordinária eficiência e organização formidável ».
Entre 1912 e 1955, Barluzzi projeta e restaura 24 construções, entre igrejas e hospitais. « Recordo com carinho a Basílica do Gesêmani, chamada das Nações porque envolve as nações que se haviam combatido [na Primeira guerra mundial] » recordou o Custódio, que concluiu:« Antes de Barluzzi, os projetistas inspiravam-se em formas neogóticas. Barluzzi não queria propor palavras já ditas. Era verdadeiro homem de fé, dotado de espírito religioso. Conformando toda a sua vida a uma visão austera, queria traduzir sua fé profunda numa Arquitetura capaz de envolver os fiéis ». Eis porque os novos santuários surgiram num duplo sentido: ser recordação precisa da vida de Jesus, pedispondo a abertura do coração. A Basílica do Getsêmani é ambiente que, de certa form, recria a noite, enquanto que a Basílica da Transfiguração é pensada como fonte de luz, pois Tabor, no qual se encontra a igreja, é experiência lumiosa.
Após a palavra de Matteo Lafranconi, Diretor da Escuderia do Quirinal, seguiu a fala conclusiva de Micol Forti, curador da Coleção de Arte contemporânea dos Museus Vaticanos, que recordou o laço profundo entre Barluzzi e a destinação litúrgica das obras que fez, e ateve-se na relação de Barluzzi com o contexto da Terra Santa, especial e vinculante. « A relação – sublinhou a Doutora Forti – não está mais entre tradição e inovação, mas provém da compreensão profunda da mensagem que esses lugares guardam ».

Antonello Sacchi - Terrasanta.net

Share
  • Maio
    • SE
    • TE
    • QU
    • QU
    • SE
    • SA
    • DO
    • 1
    • 2
    • 3
    • 4
    • 5
    • 6
    • 7
    • 8
    • 9
    • 10
    • 11
    • 12
    • 13
    • 14
    • 15
    • 16
    • 17
    • 18
    • 19
    • 20
    • 21
    • 22
    • 23
    • 24
    • 25
    • 26
    • 27
    • 28
    • 29
    • 30
    • 31

Calendário

01/04/2015 CELEBRAÇÕES

Gethsemane: 8.00 Mass (Passion sung) Holy Sepulchre: 8.00 Mass (Passion sung) & Daily Procession –10.00 Veneration of the Column – 16.00 Office

02/04/2015 CELEBRAÇÕES

Holy Sepulchre: 8.00 Entrance – The Lord's Supper & Procession of the Blessed Sacrament – 14.45 Office Cenacle – S. James – S. Mark: 15.30 Pilgrimage Gethsemane: 21.00 Holy Hour

03/04/2015 CELEBRAÇÕES

Calvary: 8.00 The Lord's Passion Via Crucis: 11.30 Holy Sepulchre: 16.00 Office – 20.10 Funeral Procession

05/04/2015 CELEBRAÇÕES

Easter Sunday Holy Sepulchre: 7.30 Simple Entrance – 8.00 Solemn Mass & Procession – 17.00 Daily Procession

06/04/2015 CELEBRAÇÕES

Emmaus (Qubeibeh): 10.00 Solemn Mass (Custos) – 14.30 Vespers Holy Sepulchre: 8.00 Solemn Mass – 17.00 Daily Procession

2011 - © Gerusalemme - San Salvatore Convento Francescano St. Saviour's Monastery
P.O.B. 186 9100101 Jerusalem - tel: +972 (02) 6266 561 - email: custodia@custodia.org